É preciso ter Esperança

Muitos de nós ainda nem se deram conta mas, já chegamos em agosto. O ano de 2020 parece voar enquanto que nós parecemos estar estacionados. Planos, sonhos, desejos, festas, investimentos, viagens, formaturas, tudo ficou em segundo plano.

Creio que para muitos de nós o sonho já se tornou chegar até o fim do ano bem, com saúde e rodeado dos familiares e amigos, o resto se tornou secundário. Desanimar? Nunca, isso não é próprio daquele que crê, que tem fé, que tem esperança. Sim, é preciso ter esperança.

É a esperança que sustenta a nossa vida. Sem ela ficamos fracos e debilitados. A esperança dá sentido à vida e a nossa existência. Perder a esperança é abrir mão de assumir a própria vida e ficar à espera de que as coisas aconteçam por si só.

Por isso nossos avós já nos ensinavam que, a esperança é a última que morre. Porque a esperança nos move, nos incomoda, nos tira do lugar. A esperança é força que move a vida. A esperança nos mostra que a vida pode ser boa, mesmo que as coisas não estejam indo bem ou não apontem para um futuro dos melhores.

E é aí que entra a esperança, despertando em nós o desejo de que coisas boas aconteçam. Estamos cientes de que vivemos tempos de incertezas e de muitas inseguranças. O mundo todo tem passado por essa transformação.

Despertar as pessoas para a esperança, resgatar a esperança, vai nos dar condições de melhor lidarmos com o tempo e tudo que acontece em nossas vidas. Isso significa que podemos olhar para frente e a cada dia também nos renovarmos. Assim a esperança se torna impulso para os pés e alento para o olhar. É claro que as situações da vida tentam roubar nossas esperanças.

Principalmente quando, diante da luta constante e diária, perdemos as forças quando nos deparamos com os problemas que nos aparecem. Como se manter esperançoso se tudo parece afundar? Como manter a esperança diante do caos que vemos constantemente ao redor do mundo e, principalmente em nosso país?

Como ter esperança se vivemos em um país com tanta corrupção? Corrupção essa que nos causa um mal social que nos prejudica diariamente? Diante de todas essas questões, ainda que dificilmente, temos que cultivar a esperança.

Porém, isso não quer dizer passividade. Da mesma forma como “a fé sem obras é morta”, uma das grandes características da esperança é sua ação. Quem tem esperança, age. Nesse sentido, a esperança, assim como a oração, deve ser o contrário do comodismo e da simples espera. Aquele que tem esperança se engaja com algo e com uma causa.

Ele não está alheio ao que acontece e se posiciona frente à essas situações. A meu ver, em primeiro lugar, precisamos pensar em reviver a esperança que há em nós. Um dos primeiros sinais de que a esperança está voltando a nós é a nossa indignação frente àquilo que está errado. A partir do momento que começamos a nos incomodar com a mentira, algo em nós começa a machucar e um estranho incômodo começa a nos fazer querer fazer algo.

Enquanto aceitamos passivamente a mentira, a corrupção, a maldade, não percebemos que estamos errados. O modo de viver alienado se transforma no modo natural de se viver. Somente ao perceber que tudo isso não é o natural que começamos a nos incomodar e lutar por aquilo que é justo e correto. Que o bom Deus renove em todos nós a Esperança, que nos leva a ter Fé e praticar a Caridade.

Diácono Carlinhos

.::LINKS ÚTEIS::.

Menu